Blog

No nosso blog, você encontra uma seleção de dicas bacanas e um pouco de tudo o que pode melhorar ainda mais a convivência com os peludos. Alimentação, saúde e cuidados especiais, brincadeiras e brinquedinhos, atividades físicas, passeios, e mais um montão de assuntos. 

Quer ser o líder do Seu Cão??

Posted by on abr 2, 2014 in Blog | 0 comments

Adestramento de cães - medo

Muito tem se pregado sobre liderança e sobre ser um líder para o cão, conceito que de certa maneira está certo, contudo muitos se equivocam na aplicação desta liderança. 
Os Cães podem obedecer por medo ou por respeito. Eles podem executar os mesmos truques e comandos se treinados com punições severas e castigos quanto se treinados com carinho e recompensando seus acertos.

Quando se treina com base aversiva e punitiva se tem um resultado rápido, pois se trabalha em grande parte criando traumas, a fim de, se obter ou extinguir determinado comportamento. O Cão obedece por medo de ser punido.

Já quando se treina o cão com base nos princípios behaviorista, recompensamos um determinado comportamento, a fim de repeti-lo. Assim o cão aprende de maneira espontânea e alegre, sem castigos físicos e sem crueldade. Ele sente prazer em realizar os treinos e comandos pois é recompensado.

O uso da força no treinamento e/ou reabilitação comportamental só se faz necessária apenas para contenção e não para punição.

Ainda sobre o estudo do comportamento, podemos punir determinado comportamento, a fim de extingui-lo, todavia destacamos que esta punições não são castigos ou punições físicas.
A maior punição para um cão é ser ignorado.

Sabendo destas leis do aprendizado canino, você pode sim, querer ser o chefe ou líder de seu cão. Mas seja um líder altruísta e justo. Busque em primeiro lugar conquistar a amizade e o respeito do seu cão e assim a obediência será uma consequência deste vínculo.

CT EducaCão – Adestramento e Hospedagem Centro de Treinamento de Cães – EducaCão

A idade do seu cão

Posted by on mar 6, 2014 in Blog | 0 comments

Você já deve ter ouvido que cada ano de vida de um cão equivale a sete anos de um ser humano. Pois esta afirmação não está correta. A análise da idade do cachorro, em termos de evolução de etapas da vida (juventude, maturidade, velhice, etc), depende de outros fatores além da passagem de tempo.

Raças grandes, por exemplo, vivem menos enquanto raças menores vivem mais. Um Yorkshire com 8 anos é um cão adulto (equivalente a um homem de 46 anos), enquanto um Dogue Alemão com a mesma idade já é um cão idoso (equivalente a um homem de 75 anos!).

Conhecer estas correlações nos ajuda a entender o comportamento dos nossos animais. Veja aqui uma interessante tabela com a equivalência aproximada entre a idade dos cães e a do homem.

dogn-idade-tabela

Carrapatos – como combater e controlar!

Posted by on mar 6, 2014 in Blog | 0 comments

CarrapatoCom o aumento da temperatura, aumentam também as infestações de carrapatos. Estes parasitas de ‘oito pernas’, além de causarem grandes transtornos e desconforto, também transmitem doenças para os animais e para o homem.
Por isso, saber como combater carrapatos de forma eficaz é importante não apenas para garantir a saúde do seu cão, mas também a da sua família.
Os carrapatos são artrópodes da classe Arachnida, a mesma das aranhas, e tanto os machos quantos a fêmeas se alimentam de sangue (são hematófagos). Os carrapatos mais comuns nos cães são da espécie Rhipicephalus sanguineus (conhecido como carrapato-vermelho-do-cão), porém o cão também pode ser parasitado acidentalmente por outras espécies, como o Amblyomma (carrapato estrela) encontrado em áreas rurais ou de mata. O ciclo de vida dos carrapatos, independentemente da espécie, possui três fases: larva, ninfa e adulto, onde cada fêmea pode colocar de 200 a 3000 ovos por dia.
Ao contrário do que parece, os carrapatos não ficam todo o tempo fixados ao animal. Para colocar os ovos e para fazerem as mudas, eles deixam o cão e vão para o ambiente. É comum ver carrapatos saírem do animal e subirem nas paredes ou para as pontas da grama e das plantas. Isto ocorre porque o carrapato do cão possui geotropismo negativo, ou seja, quando deixa o cão que estão parasitando sobem para locais mais altos, para encontrar e se fixar em um novo hospedeiro que esteja passando pelo local.
Os carrapatos causam diversos problemas ao animal enquanto se alimentam. Nos cães, causam coceira, incômodo, e também podem causar anemia e transmitir doenças que podem ser fatais, como a babesiose e a erliquiose, conhecidas como “doenças do carrapato”. Devido ao seu ciclo de vida, um único carrapato pode parasitar vários hospedeiros diferentes, entre animais e seres humanos. Isto aumenta as chances de transmissão de doenças, pois uma vez que ele se alimente do sangue de um animal infectado, transmitirá o agente etiológico da doença para os demais hospedeiros que irá parasitar. Além dos cães, os carrapatos podem transmitir agentes que causam doenças graves nos humanos, como a Febre Maculosa e a Doença de Lyme. A prevenção da infestação e o combate aos carrapatos são as melhores maneiras de impedir que essas doenças ocorram.

É imprescindível o uso de carrapaticida no ambiente onde vive o cão

O uso de carrapaticida no ambiente e no cão são os principais métodos de controle. Existem no mercado diversos produtos eficientes para se combater carrapatos, uns para serem usados no cão e outros para serem usados no ambiente. Entre os produtos usados no cão há a ivermectina, a selamectina, o amitraz, os piretróides, o fipronil e outros. Quando a infestação é grande, pode ser necessário mais de uma aplicação do carrapaticida para matar todos os carrapatos. Nos casos de animais com pêlos longos, recomenda-se a tosa para facilitar o tratamento. É preciso cuidado na escolha e aplicação desses produtos e eles só devem ser usados sob prescrição e orientação do médico-veterinário, pois alguns deles podem causar intoxicação. No caso da ivermectina, seu uso é contra-indicado em algumas raças, como Collie, Pastor Alemão, Pastor de Shetland, Pastor Australiano, Setters, Old English Sheepdog e seus cruzamentos. Também é contra-indicado o uso da maioria dos carrapaticidas em filhotes, gestantes e fêmeas em lactação.

Quanto ao uso no ambiente, principalmente dentro das casinhas, paredes, muros, portões e no chão, tenha atenção especial para as frestas que costumam abrigar grande número de carrapatos em diversos estágios do seu ciclo de vida. É necessário retirar o cão para aplicá-los no ambiente porque esses produtos podem causar intoxicação. As camas, cobertores e acessórios devem ser bem lavados para retirar qualquer carrapato que tenha se alojado. Se a infestação for grande, é necessário que o produto seja aplicado semanal ou quinzenalmente, para matar todos os carrapatos .
Para a prevenção, deve-se aplicar regularmente no cão um produto com boa ação residual (de 3 a 4 semanas), e/ou usar coleiras carrapaticidas. Impedir o acesso do cão a áreas onde existam cavalos, bois e animais silvestres é uma boa prática para evitar a infestação acidental por outras espécies de carrapatos. Se não for possível, aplique um carrapaticida no seu cachorro, antes ou depois do passeio. Lembre-se que o combate às infestações de carrapatos é um trabalho que exige paciência e persistência, podendo demorar semanas até que o problema resolvido e os carrapatos, eliminados.